dores de crescimento

Daí que você sabe que tem algo errado quando começa a se identificar forte com uma música da Rihanna, né (sem ofensa aos fãs da moça é só que ela não faz nem nunca fez meu meu tipo não me furem o olho enquanto eu durmo por favor ok obrigada). Senti que precisava voltar pras raízes agora, antes que tudo fosse perdido. Vinte e um anos de trabalho, gente, trabalho árduo. Pode jogar fora não.

Mas sabiquiquié?

Também não sei.

Eu podia culpar a Crise. As despedidas, cada vez mais machuquentas, mais frequentes, mais profundas, doídas mesmo. Podia culpar o fim do ano, que obriga a gente a se sentir estranho e inadequado e esquisito e eufórico enquanto decora a casa com neve artificial, sei lá. Época esquisita. Podia culpar esse nó que apareceu aqui dentro sem convite, sem cerimônia, sem nem trazer presente pra anfitriã. Esse medo, esse rabo de olho. Que raiva que eu tenho.

Podia culpar o adeus tão idiota que eu dei à minha cachorrinha. Ou a loucura do último de vida dela, que eu ainda não entendi, não caiu a ficha, não sei. As lágrimas não desceram como deviam, sabe? Meu coração implodiu sem fazer barulho. Isso é tão… não eu. As coisas geralmente são grandes demais por essas bandas de cá. Dessa vez foi grande, mas… sei lá. Acho que eu fui maior. Sei lá, sei lá, sei lá.

Podia culpar a saudade dos meus amigos – eles nem se foram ainda, mas eu sinto. As dores de crescimento. As tensões mal aplicadas. Os gestos que nunca foram terminados nem começados. Os tiros à queima-roupa que meu coração anda levando.

Quero um 2010 intenso como 2009, transformador como 2009. Poderoso. Esse ano foi genial, genial, paguei um pau pra ele do começo ao fim. Foi fantástico, absolutamente maluco. Fui lá, arrisquei, tomei chuva, me apaixonei, surtei, fiquei no fundo do poço, me enfiei num carro, conheci gente, reconheci gente, abandonei gente, mandei gente à merda, fui idiota, expansiva, retrógrada, uma babaca e a pessoa mais feliz do mundo. Eu quero um 2010 assim, assimzim, mágico. Respeitável. Foda. Quero me sentir nele. Quero recomeçar a brincar, vamos lá, de novo, de novo, Teletubbies. Quero 2010.

Mas com final mais feliz.

*Em tempo: nem a pau que eu vou falar qual música da Rihanna anda tocando no meu iPod mental. Não me obriguem.

*Em tempo 2: obrigada.

4 thoughts on “dores de crescimento

  1. Rihanna então tu ainda tá bem. Quando começar a se identificar com Bee Gees, a coisa tá preta. Eu desejo seus desejos concretizados em 2010. Pra mim, só desejo resolver meus problemas psicológicos e já tá tudo certo haha

    Beijos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s