Corri de medo

Ai, ok, eu sumi. E digo mais!, não foi por opção. Ou talvez sim. Opção do mundo, ok! [/drama]. Tô trabaiano, estudano e teatrando serelepe como sempre, sim, obrigada, mas no resto do tempo eu quero mais é dormir feliz e contente ou saracotear por Salzburgo com roupas de brincar. Em resumo: fazer tudo aquilo que eu morro de vontade de vir contar no blog depois e acabo esquecendo de relatar. Bacana, néam?

Mas hoje não teve jeito, tive que vir aqui partilhar uma experiência com vocês, da qual vocês podem tirar uma lição muito valiosa tipo “não vale a pena brincar em escadas de incêndio” ou mesmo “meus amigos imaginários não são a melhor companhia sempre”. Tudo firme? Posso contá? Me joguei.

É assim: outro dia acabou a luz lá no trabalho. Era uma quinta-feira e o pessoal já louco pra emendar uma coisa na outra e voltar só mês que vem pro batente, mas tudo certo. ‘Contece que ligaram uns mágicos geradores que não tinham explodido (longa história, depois te conto) pra ativar os elevadores, já que é um baita prédio duns mil andares e não rola do cara no décimo sétimo descer tudo isso pra chegar ao térreo. Bacana? Bacana. Se não fosse o estado dos elevadores, que quando finalmente paravam no seu andar, tavam meio que assim:

Opa com licença estou passando opa licencinha isso obrigado uhu câmeras!

E por alguma razão eu não gosto tanto assim de elevadores cheios, sabe. Imagino na hora todas as pessoas no cubículo puxando a coreografia de “Extravasa” e, sei lá, ainda sou jovem demais pra um Libera e joga tudo pro ar em público. Por essas e outras que resolvi ir de escada.

Mas não qualquer escada, é claro que não. Eu tinha que ir pela escada mais empolgante, tenebrosa e cavernosa de tooodas, a de incêndio! Com portas pesadérrimas que bloqueiam as chamas e tudo. Vai dizer que não é muitophyno sair pela escada de incêndio com as labaredas perseguindo você? Sonho de vida.

Enfim. As meninas do meu andar chegaram a alertar que a escada era meio estranha e tal. Sem problemas, pensei, pois meio estranha soy yo. A escada devia ser, no máximo, excêntrica. Parti pra ela e descobri que, na verdade, era uma escada bem… ok. Portas pesadas demais, luz que acende quando você está passando, mas… bem normalzinha mesmo. Frustrei, até. E saí andando, a bolsa fazendo barulho pela quantidade de chaveiros otakus que eu tenho. Aquela girafa maledeta, não devia ter comprado. Enfim!, estava eu chegando timidamente ao sexto andar (nota: trabalho no nono), quando ouço um barulho que não-é-desse-mundo uns lances acima.

Sério. Podia até ser de Marte, que é pertinho, mas da Terra no way.

Pareciam umas batidas fortes plãs barulhos de passos frenéticos vindo na minha direção. Saca? NA MINHA (M-I-N-H-A) DIREÇÃO.

Gelei, óbvio.

“São eles”, pensei, já imaginando SWATs, helicópteros, terroristas, aliens, tudo que é possível chamar de “Eles” e manter um olhar de preocupação. Me senti no palco e saí disparando pela escada, mais nervosa que Cascão em lava-rápido. E os passos logo atrás, acompanhando. Eu dava uma volta, o barulho seguia. Sério, gente, tou brincando não. E se existisse um maníaco da escada de incêndio, hein? Cêis iam parar pra conferir, puxar um papo, fazer uns barulhos em conjunto, fazer um Olodum ao redor da fogueira sob a luz das estrelas? Voei.

Lá pro segundo andar, já não tinha mais jeito, o barulho ia me alcançar. Tentei voltar à sanidade e limpar as calças e pensar, racionalmente, que uma pessoa normal, comum e não-tarada poderia estar descendo com tanta pressa quanto eu pra ir embora, daí os passos tão plamplamdampampam e reboantes. Mas o barulho continuava e sabe quando cê simplesmente não tá afim de ouvir grilo falante? Zarpei de novo. Fui parar no térreo em três segundos, morta mas viva.

Livre! Liv… AAAAARRRRRRRGHH

Resultado? Gostei tanto dessa experiência Noites do Terror de baixo orçamento psicológica que resolvi ir embora de novo pela escada, hoje. Poisé, gente que não aprende com o primeiro erro… vocês imaginam o resto, né.

Pois bobearam, tá! Não só saí ilesinha de lá como ouvi os barulhos de novo. Sim, sim, ouvi. E eles quase me pegaram dessa vez, mas ainda não rolou. E enquanto não me alcançam, bora gastar as calorias do almoço? Tô adorando essa de entrar em pânico na escada. Faz um bem pra panturrilha!

Anúncios

14 comentários a “Corri de medo

  1. Deixa eu confessar que toda vez que minha mãe me manda por o lixo na lixeira do prédio (que fica lááááá na escada) eu volto que nem um foquete pro apartamento, uhahaua e ainda tranco a porta atrás de mim pra garantir.

    Incêndios são legais, eu vi todos os meus vizinhos em pijamas mínimos (ou não) por causa de uma coisinha pequena lá na garagem, preciso postar essa história um dia.

    Beijo

    Ah, tá teatrando onde? Mamãe e namorado disseram que eu preciso ser menos tímida se quiser virar uma professora-esuisitona-loucona de cursinho um dia.

  2. HUahuahuahuahuahauhuahauhuahuauha ai escada de incendio são tenebrosas e assustadoras… se vc ja viu o grito vc sabe do que eu to falando… aquela boca da menina… assusta…
    pois é pois é…
    mas eu gosto de emoção!!! e antes sozinha numa escada mal assombrada que esmagada num elevador cheio de pessoas tao assustadoras quanto né???

  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    querida! adorei a idéia, to precisando perder uns kilinhos aqui, vou começara andar numas ruas escuras e sair correndo, mas na boa…
    Eu chegando perto da porta segurava ela aberta só pra ver quem ia chegar tbm =D Pra ver qm é o infeliz que tá me passando medo.
    ahsuehuae
    Beijão

  4. Ai, menina, que pavor. o.O Talvez um dia você pare pra saber o que é. 😛 Deve ser alguém te sacaneando, Cláu. Tipo aquele amigo pentelho do trabalho sacaneando a estagiária.

  5. Libera e joga tudo pro ar! huahauhua
    Sair pelas escadas com as labaredas foi o máximo! Ainda mais com o “sonho de vida”!
    Ei, sabia que eu sou tarada por girafas? Se não quer mais a sua, ó eu aquiiii-iiii!
    Morri de rir com o “Marte aqui pertinho, mas da Terra no way”.
    (tá ficando um comentário sem ritmo porque eu tô lendo e escrevendo ao mesmo tempo – ou quase).
    Uau “eles” pode ser mesmo muito aterrorizante!! o0
    Cascão em lava-rápido… só a Cláu pra imaginar isso.
    Realmente, vai que fosse um maníaco da escada de incêndio, nunca se sabe. Se existe Quentin Tarantino no mundo, não duvido de mais nada, por mais macabro que possa parecer. Ninguém meeeeesmo ia querer fazer um Olodum, não!
    O “morta mas viva” ficou demais também!
    O QUÊEEEEEEEEEEE? E não tem fim essa história????? Que filme de suspense mais bobo, sô! huahauhua
    Ah, Cláu, você só pode estar fazendo esses barulhos, só pode. Sabe, aquele negócio de gato brigando com o espelho. É, de você e do Quentin eu não duvido nada.

  6. Ah, eu também tinha a mesma atitude que Nicas, menina. O lixo é logo ali, mas… benhé, que medão.
    E o pior é que eu sempre usava as escadas porque 1. me estressa esperar o elevador 2. queima calorias e fica com um pernão 3. hum… porque eu odeio conversas de elevador.
    Enfim, escadas de incêndio são tenebrosas, principalmente quando elas estão em ação – ou seja, tem fogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s