Sobre a inveja

Um dos meus queridos professores de teatro – em suma, uma pessoa muito mais esperta que eu – disse, na sua última *snif* aula, que a platéia inveja um pouco o ator. Calma, isso não tem nada a ver com aquela tia véia da novela que agarra o Gianechinni, não, se bem que ela é uma desgraçada mesmo. 

A inveja que a gente sente tá mais relacionada àquele drama tão terrível que envolve a personagem; ele sofre tanto – ou se diverte tanto, ou engasga tanto, ou morre tão bem, enfim! – que a gente se pergunta: mas ué, por que eu não tenho nenhum drama terrível na minha vida? Por que eu não mateimeupaicomiminhamãe enfrento dualidades terríveis, só filas de banco? Por que meu amor não é tão grande quanto o dela?  Eu queria sofrer assim, amar assim, ser feliz pra sempre desse jeito. É quase uma criança na frente de uma loja de brinquedos, vendo mil pimpolhos saírem com grandes embrulhos, enquanto ela tem que se satisfazer só com a vitrine.

Senti muito isso saindo de “Senhora dos Afogados”, em cartaz no SESC Consolação. A culpa de Moema – e daí que vocês não viram?, cêis vão me entender u_u – é tão grande, tão… quente e raivosa, que dá pra sentir lá da fileira I, lugar 19. Dá gosto de ver. Ela é impassível e ao mesmo tempo, passional. Uma doida varrida cheia de estilo.

Eu tenho inveja das mãos tremulantes da Moema e da loucura sorridente do Misael; tenho inveja dos tiques nas mãos da Dona Eduarda e da Moema, limpando sangues invisíveis; tenho inveja da frieza da senhora dos afogados, que manda inocentes pro mar. Tenho inveja da pureza do Paulo, perdida quando ele veste preto, mas não é muleque. Tenho inveja da promessa da Moema, que é cumprida e branca. Tenho inveja do claro e do escuro, da loucura, da vingança, das mortes em comum e de pactos absurdos. E do mar maravilhoso, senhor de destinos e tirem a Suzana Vieira da cabeça JÁ!, das sandálias de espuma, da magia de Nelson.

É bom e eu tenho inveja, tenho inveja e é bom. Mato-e-morro de inveja e amo.

Anúncios

6 comentários a “Sobre a inveja

  1. e eu tenho inveja da sua criatividade para escrever textos com tanta vivacidade xP
    nha~venho do seu outro blog [www.desiluminancia.blogger.com.br] vi o link num blog amigo, achei o título bem curioso, “desiluminância” rss depois de alguns minutos até perceber que não era “desilumilândia” hauhauhauah resolvi entrar ;p conteúdo muito bom =]

  2. Ah, mas a moema é tão…tão…tão sei lá hauahua
    Mas o noivo é legal e o coro então nem se fale…

    Eu tenho inveja da Sandra Bloom.
    E tenho dito.
    Passar bem!! =)

  3. Inveja é ruim =/

    E eu acho que os atores também sofrem. Pensa, eles vivem aquilo tudo muito mais que a gente mas sabem que NUNCA vai ser de verdade.

    Aí quem sabe não seja melhor simplesmente não viver?

    =**

    Ps – São 6:20, ooi.

  4. engraçado que eu não me sinto assim ao sair de um teatro. me sinto melancólica, mas com uma puta vontade de viver, por que tocou não só na superfície, resgatou o lado mais… profundo. é bem bonito =)
    :*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s