Amy ou não amy

Então vai lá a Natalie Cole e poft, fala pro mundo inteiro que a Amy Winehouse não merecia ficar com os prêmios que recebeu no Grammy, por ser um exemplo de, hm, mal-exemplo.

Dá pra entender o que a Natalie quer dizer. Uma pessoa que se droga, se complica e ainda por cima pinta o cabelo de um jeito horrorooooso pra depois repintar deixa tudo isso registradinho pra posteridade no Youtube, bom, talvez não seja a mais indicada para ser uma influência importante para os jovens, e premiá-la é verdadeiramente um erro, porque veicularia ainda mais a imagem da dona Winehouse na mídia. Anotei certo, dona Cole?

Não vou aqui ficar defendendo ninguém, pra começo de conversa. Também não sou fã da Amy pra levantar bandeiras e dizer que ela é uma injustiçada da nação, ou que a Natalie Cole está é muito despeitada pelos cinco (é, cinco) prêmios que a Winehouse levou. Bom, talvez até esteja, mas isso não entra em questão. Néam?

A Amy não foi a primeira seguidora do drogas-sexo-drogas-e-rock-‘n-roll-e-drogas lifestyle a entrar no Grammy não, ô dona Natalie. Já em 1999, caras como Bob Marley e Rolling Stones figuravam no Hall da Fama da premiação por terem criado músicas, de acordo com o site do Grammy, de “significado histórico ou qualidade duradoura”. Interessante… por mais bad boys que fossem, ninguém tentou arrancar as premiações deles, até onde eu sei.

Desaprovar drogas, escândalos em público e até os vídeos no Youtube é uma coisa. Não aceitar que a Rehab Girl é talentosa e intérprete de músicas que grudam na cabeça forever e que é por isso, não por sua conduta, que ela levou cinco gramofones pra casa, é beeem diferente.

Os tempos são outros. Caso contrário, Amy nada teria agradecer, naquele vídeo todo emocionadinho ao lado da mum dela. E a Britney jamais teria subido nos palcos do MTV Music Awards… bom, não se pode ter tudo na vida.

Nicole, te dou um toque? “I just think you’re depressed”. Sai dessa vida e ganhe seus prêmios. Por enquanto, dona Winehouse tá no topo e ninguém tira ela de lá. No, no, no.

6 thoughts on “Amy ou não amy

  1. ADOURO. Ficadica pra Amy né, manda um beeijo pra Natalie e joga no youtube amican! Polêmica pouca é bobagem. (:
    E quem é Natalie Cole na noite pra falar qualquer coisa? Humpf! Despeeite é coisa complicdjenha.

    Eee que se Amy Wino fosse realmente uma influência pros jovens do mundo e etc, tava todo mundo cuspindo dente e fazendo aquele ninho boniito no cabelo. xD

  2. Mesmo não gostando dela e de sua obra, sou obrigado a concordar com vc, pq se o prêmio se baseasse na pessoa que ela é, tenho certeza que nem prêmio de consolação (se existisse) ela ganharia. Mas foi baseado no que ela produz, no que ela traz para este mundo fonográfico!

    Ah, quanto ao post de baixo, eficiência demais tb me assusta. Mas explico isso outra hora pelo msn hehehe…

    Beijos Mil…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s