Um tapinha não dói?

É sempre assim: basta a conversa começar a esfriar na rodinha de bar, pra alguém lançar mão de um tema polêmico, daqueles que dá pra discutir por horas, entre uma e outra porção de batata frita. A discussão da vez é sobre o uso da maconha como remédio, medida que a Alemanha começou a implantar há pouco tempo. Lá na terra do Tio Sam, inclusive, foram instaladas máquinas para venda direta da Cannabis para fins medicinais.

É, é um tema tenso. Nem o Ministério de Saúde da Alemanha tá totalmente seguro com a decisão e se nem os médicos, que estão super envolvidos no negócio, têm certeza de que a implantação da maconha é uma boa, quem somos nós, ó pobres mortais, pra chegar a uma decisão conclusiva sobre o assunto? Não é à toa que é um bom tema de discussão, e é dos polêmicos que nós gostamos mais.

A questão é que, bom, maconha é droga. E droga não é legal (em todos os sentidos). Do mesmo modo que você não sai da farmácia com um saquinho de morfina no bolso, looouca pra curtir uma baladjeenha com os amigos, a Cannabis não deveria ser comercializada abertamente. Sim, abertamente, porque não é difícil forjar um atestado médico – você e suas aulas de ginástica sabem bem disso – e conseguir a droga. Ou “abrir o mercado”, por assim dizer, do tráfico.

Claro que existe uma série de restrições. Claro que o tratamento se destina a pacientes de doenças graves e apenas em situações extremas, como quando não há outra substância que possa ser utilizada no lugar e tchans. Mas gente, aceitar a droga parcialmente, pelo menos aqui no Brasil, é praticamente admitir que a droga não é tão maléfica quanto se acredita. Para o estímulo ao uso, basta um pulo. Ou um tapa.

7 thoughts on “Um tapinha não dói?

  1. Concordo contigo, mas em parte. O uso já está bastante disseminado, e não tem muito o que fazer. O acesso, hoje em dia, é quase irrestrito… basicamente só os que realmente precisam é que não têm acesso – porque esses precisariam da droga legalmente. E aí, como fica?
    Fica a dúvida:/ Nunca se dá pra ter certeza, infelizmente…

  2. nem se preocupe, a nat só joga essas bombas com assuntos polêmicos no começo, depois fica light😀 é normal as opiniões serem diversas e as vezes a gente ter inclinação a aceitar a justificativa do outro… o importante é que fights não rolem hahahaha
    :*

  3. – concordo mas discordo, pode ser? >_<

    ei, você já viu aquela cena super-mágica de house (o doutor que é tiops uma brastemp) em que o dr. wiiilson, o oncologista, tá enrolando um cigarritcho pra uma paciente? recomendo! : D house-dedos-leves, amican. 8D

  4. Olá Cláu, gostei dos posts.. e sobre esse assunto da maconha na alemanha, ainda não formei uma opinião, mas acredito q esse mundo ta tão perdido, e q droga num resolve nada.. mas vou pensar mais a respeito! Depois faz uma visitinha lá pra mim!
    Voltarei mais vezes.. t+

  5. Na verdade, proibido ou não, as pessoas continuarão usando. E, sinceramente, eu acredito queo fato de ser algo proibido é o que leva a maioria das pessoas a se interessar por isso, já que os maiores consumidores são os jovens. É lógico: adolescentes com poucos miolos gostam de fazer o que é proibido. O uso de drogas é proibido, logo eles se sentem atraídos por isso.Triste…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s